20 outubro 2011

Da espreguiçadeira "assombrada"...

Como primeira Filha (e provavelmente, única) a Francisca tem todas as paneleirices possíveis e imaginárias. E mais algumas. Entre elas, conta-se uma espreguiçadeira pónei que balança sozinha em 4 velocidades diferentes, vibra, tem músicas irritantes que levam a Mamã à loucura, sons de passarinhos e coisas afins. 
Tudo muito bem. A piquena finalmente (Obrigada Francisca! Já não podia ouvir o teu Papá a perguntar se não tinha mais que fazer ao dinheiro quando lhe impingi a compra desta pérola) começou a achar piada ao investimento (sim, porque a dita foi cara mas pronto, Pais de 1ª viagem). Nada de extraordinário, pensam vocês. Devem achar que hoje estou mesmo aborrecida da vida para estar a dissertar sobre uma espreguiçadeira... 
Mas, eis senão quando, depois do regresso ao meu ninho e depois de montada a referida aquisição... algo de estranho começou a acontecer... 
Do nada, sozinha, sem a Francisca lá estar deitada, sem ninguém por perto (nem mesmo a Mofli, às vezes a canina poderia ser mais esperta do que eu imaginava) a geringonça decidiu começar a baloiçar e a tocar as musiquinhas irritantes. Assim, do nada. Da primeira vez, assustamo-nos de morte. Estávamos a trocar a fralda à Raínha do Chichi quando começamos a ouvir o som. Estaria alguém, sem nosso conhecimento, em nossa casa? Nop... Desligamos no comando, viramos costas e continuamos na nossa vidinha... Mas, a coisa repetiu-se passado algum tempo. Voltei a desligar. Mais um bom bocado e voltamos ao mesmo cenário... A espreguiçadeira a baloiçar sozinha e a musiquinha da carrinha dos gelados (já vos disse o quanto me irrita???) a tocar.  Isto repetiu-se on and on and on durante esse dia. Marido génio lembra-se de tirar as pilhas ao comando para ver se fazia algum tipo de reset. Pilhas de volta ao comando e de novo o mesmo filme. E eu a entrar em colapso porque o raio da musiquinha me tira mesmo do sério. Em especial se toca sozinha e não para a Francisca... a meio da noite
Por isso, para resolver a questão, toca de sacar as pilhas todas à coisa. A espreguiçadeira não toca sozinha, não baloiça sozinha, basicamente não faz nada do que a comprei para fazer. Serve para deitar lá a Francisca na esperança que ela goste dos bonecos pendurados. Mas, pelo menos, e a bem da minha pouca sanidade mental, já não se liga sozinha a seu bel-prazer, nem me deixa louca com a sinfonia da carrinha dos gelados.
Tudo o que preciso de fazer agora, é dirigir-me a uma loja da marca e explicar que tenho uma espreguiçadeira "assombrada"... 
Foi um bom investimento, está visto...

3 comentários:

Sónia disse...

lol por isso não quis nem para um nem para o outro uma dessas, quando mais simples melhor!

neiita disse...

olá. também sou mamã de primeira viagem e adquiri igualmente uma dessas "paneleirices" para o meu principe. e a minha também é assombrada....acabaste o post dizendo que irias à chicco explicar a tua situação e já agora o que é que eles te disseram? é que também estou na duvida se é normal ou defeito
um grande beijinho

Princesa disse...

Nelita,

Acabei por nunca ir à Chicco porque finalmente percebemos o que era. Expliquei isso depois num post mais recente. O que acontece é que a nossa espreguiçadeira responde ao comando da TV...Enfim, vá-se lá perceber.
As maiores felicidades para ti e para o teu Menino! E já agora, bom ano 2012!!

Beijinhos