15 novembro 2011

Do triste fim do escovilhão...

Na Tribo dos Meninos Perdidos, há que ter tudo debaixo de olho. Misteriosamente, as coisas desaparecem sem deixar rasto. Ou então assumem novas e estranhas funções. 
Num destes fins-de-semana em que fomos à cidade do timbre pardacento, o escovilhão dos biberões da bebé Milupa teve um fim trágico, pouco digno de um utensílio usado para lavar a fonte de alimentação da piquena
Entro na cozinha e deparo-me com o meu Pai, tranquilíssimo da vida, a passar os pratos por água para os colocar na máquina de lavar loiça. O meu Pai é daqueles Homens à séria, que ajuda em tudo o que pode. Era ele que me mudava fraldas em pequena, só para terem uma ideia da espécie de Homem que estou a falar. Pensei para mim mesma : "My Daddy rocks. Yeah!!!" Até que me aproximei da banca e reparei que a escova usada para retirar os restos de comida dos pratos não era uma escova mas sim o escovilhão. Drama, horror, tragédia... 
-" Oh PAAAAAAAI, tu não vês que isso não é uma escova da loiça?" 
- Hãaaaa??? (cara de espanto) 
- Tu achas que isso é uma escova de limpar os pratos
-Não é? (cara ainda mais espantada) 
-Nãaaaaaaaaaaao. É o escovilhão de lavar os biberões da miúda!!! 
-É o quê? (ar muito mais espantado) 
-O escovilhão, aquela coisa com que esfrego os biberões, estás a ver? 
- Não... No teu tempo (e no tempo dos vickings, presumo eu) não havia estas poneisices... Mas digo-te já, dá imenso jeito para tirar os restos de comida dos pratos!!!"
Virei costas a abanar a cabeça. A Tribo dos Meninos Perdidos é uma causa perdida, it's not worth the fight... 
E assim, o escovilhão viu a sua curta existência como utensílio para biberões terminada (e 4 oiros, como diz a minha Avó, foram ao ar). Mas o meu Pai ficou feliz com a sua nova escova para a loiça xpto... 
É o que é preciso senhores, alegria... (e paciência, muita paciência...) 

3 comentários:

Sónia disse...

ehhehehe uns perdem outros ganham :) deixa ele estava todo feliz da vida lol

Duchess disse...

Ahahahahahahaha. Não consigo parar de rir. Imaginei a cena toda. Ai os homens, ai os homens!

raquel disse...

muito, muito bom! e tão previsível...