04 maio 2013

Realidades (pouco) virtuais...

Criei o blog antes de partir para os Estados Unidos. Achei que seria uma maneira de exorcizar a solidão. Nunca nele escrevi. Um dia, quando as dores fruto da gravidez da minha Filha eram de mais para a cabeça aguentar, lembrei-me da existência dele. Comecei a escrever para matar a solidão das horas sozinha numa cama e para esquecer a dor física. Comecei a seguir alguns blogues e a descobrir os que gostava de ler. Aqueles em que me revia e me davam algo. Ao príncipio, falava quase só da gravidez e da Francisca que ainda não conhecia o Mundo. Depois, descobri que gostava de escrever. Comecei a falar de mim, da minha vida, das minhas coisas. Descobri que este bocadinho de mim, sou eu, porque escrevo o que quero, o que sinto, o que me vai na alma. Sou eu, sem rosto ou nome próprio. Sempre sob a capa do anonimato que tanto gosto. Mas a curiosidade de saber quem eram algumas caras, como seriam as suas vozes, levou-me a aceitar um convite. A sair do Princesa sem Reino e dizer o meu nome. Foi um final de tarde bem passado. Porque há gente por detrás dos teclados. Com sorrisos e estórias de verdade. E por vezes, o virtual é muito mais real que o palpável...

3 comentários:

Magda E. disse...

Gostei muito deste post. Eu antes do blog escrevia cartas... tantas cartas... e ainda escrevo. Conheci tantas pessoas que se tornaram para sempre na minha vida assim. Tantas viagens feitas para me encontrar com pessoas que nunca antes tinha visto, recebi amigos de braços abertos tb. Tornei-me mais rica por isso. E não falo de valores materiais obviamente!

Catarina disse...

beijo enorme.
gostei muito <3

Su Alves disse...

Gostei francamente de a conhecer. :)
Ouvi-la e vê-la sem nada de virtual pelo meio, teve realmente outro encanto...
Foi um momento de partilha fantástico este, assim ao final do dia e com um cenário maravilhoso. Por mim estaria a ouvir-vos a tarde toda! :)

Obrigada!