08 fevereiro 2012

Do que por cá se pensa...

Diz que tenho de entregar a horribilis Tese até Julho.  
Diz que tenho de acabar de escrever este artigo para o publicar. 
Diz que tenho mesmo mesmo mesmo de entregar a bicha feia até Julho e andar com a minha  (des)interessante vida para a frente... 
... 
E a única coisa que o meu cérebro me diz é que está na hora da Francisca comer. E que queria estar à beira dela. E que me custou horrores dar-lhe o biberão das oito, voltar a deitá-la bem aconchegada e quentinha na sua caminha e sair pseudo-a-correr escadas abaixo que se fazia tarde. 
Será que esta bagunça que vai cá por dentro não serve como tema da Tese? Não precisa de análises estatísticas, nem de gráficos, nem de grandes referências bibliográficas. Seria muito mais fácil dissertar sobre o meu cérebro na era pós-Texuguinha do que escrever sobre a outra bicha chata e malvada... E vai na volta, até alguém lia essa dissertação. Que a verdadeira, a horribilis, vai ficar tão boring que duvido seriamente que alguém a leia. A não ser que seja alguém que sofra de insónias crónicas... 

3 comentários:

Rit♥Catita disse...

Também sei o que é isso. Estar a fazer uma coisa mas estar preocupada com 1001 outras coisas.
Emprego e trabalho de mãe, muitas vezes não são fáceis de conciliar mas têm que coexistir.

M.P. disse...

É por isso que eu ando a pedinchar ao marido para ele tirar uns dias...Preciso de ir de férias para algures antes de regressar ao trabalho, senão acho que vou deprimir no meu regresso.

raquel disse...

Ai meu Deus.
De ler isto até me dá arrepios.
Aí!
Estou quase a sentir isso tudo. Essa pressão.
E não quero nada. Posso ser avestruz por mais uns dias?!?