22 janeiro 2012

Pontualmente...

Pontualmente, anunciaram que na linha 1, segunda plataforma, iria entrar o Alfa Pendular nº não sei quê proveniente de Braga com destino a Lisboa-Santa Apolónia. Pontualmente, o comboio parou e a porta da tua carruagem abriu. Tu entraste. Tivemos ainda tempo para um abraço apertado e um beijo, entre as minhas lágrimas que te molhavam o casaco... Sopraste-me um beijo e procuraste o teu lugar, enquanto te seguia do lado de fora... 
Dizem que com o tempo tudo se torna mais fácil... Que Sexta feira chega rápido e mimimimimi.. Não é verdade. Sei-o, sinto-o todas as semanas com a mesma intensidade da primeira vez, volvidos já tantos anos...
E a minha (nossa) vida vai continuando. Porque o tempo não pára e não se consegue congelar e fazer parar o tempo naquela sesta a 3 enquanto o sol se põe do lado de fora da janela. A minha (nossa) vida continua, mas em modo quase suspenso até Sexta-feira. 
Pontualmente, a porta da tua carruagem fechou-se e num ápice o comboio começou, primeiro lentamente e depois cada vez mais rápido, a deslizar... Fiquei a vê-lo desaparecer até ser um ponto de luz bem ao fundo da linha e por fim, desaparecer do meu campo de visão. Fiquei ali, com lágrimas gordas e teimosas a molharem-me a cara, no frio da noite. 
Parte de mim, partiu também no Alfa Pendular nº não sei o quê proveniente de Braga e com destino a Santa Apolónia, com paragens em Aveiro, Coimbra B e Lisboa-Oriente. Parte de mim, partiu, pontualmente, deixando-me mais só e como que em suspenso na bruma fria da noite... 
Pontualmente (assim o desejo), Sexta-feira, ouvirei dizer que vai dar entrada na linha nº1, primeira plataforma, o comboio Alfa Pendular nº não sei quê proveniente de Lisboa-Santa Apolónia com destino a Braga... Pontualmente, Sexta-feira voltarei a sentir-me completa, porque os teus braços vão de novo envolver-me...
Tenho saudades tuas... 
Imagem retirada daqui... 

3 comentários:

Ana Maldivas disse...

:( Já vivi a fins-de-semana no meu primeiro ano de casada. Marido ia todos os domingos à noite a conduzir de coimbra para lisboa. É horrível. Bem sei o que sentes. E os fins-de-semana acabam ao domingo a seguir ao almoço. Um horror. E na altura eramos só os dois... Deixei-me disso e mudei-me para lisboa. E eu que dizia NUNCA. Larguei emprego, pais, amigas, tudo... Hoje posso dizer que compensou. Arranjei cá emprego (o que vale é que aqui há 300 mil mais oportunidades que coimbra), e os pais cabaram por se mudar para cá tb... Só custa de facto as amigas... aos trinta já não se fazem amigas como as que eram as da nossa vida... Mas pronto, ao menos estamos juntos. E hoje não me via voltar para coimbra... Aquele ano foi mau. Mas claro, esta é a minha vida, e se fiz esta mudança foi porque pude e numa fase da vida ainda sem grandes compromissos profissionais... Mas lá que percebo o que isso é, percebo

raquel disse...

um abraço apertado, minha amiga.
um abraço muito apertado e cheio de mimo para ti*

Duchess disse...

:(