07 setembro 2011

Food first, then morals

Aviso: este post é uma lavagem da alma. E um desabafo sentido... 
O plano (agora sei que não se podem fazer deste tipo de planos) era amamentar a Francisca até aos 4 meses. Depois ir introduzindo alimentação diversificada se o Pediatra não visse problema. Em breve teria de regressar ao trabalho e tirar leite para guardar seria complicado por uma série de motivos. O plano era esse. A saca de fraldas do carrinho foi comprada com esse plano em mente, uma saca pequena porque não é preciso muita tralha... Durante a gravidez comprei arejadores de mamilos, mamilos de silicone, creme xpto...uma parafernália de coisas para me preparar para a amamentação. Porque esse era o plano. E na minha cabeça estava tão bem delineado que rondava a perfeição...  
A Francisca nunca pegou bem na mama. Nunca. Desde o primeiro momento que rejeitava a maminha da Mãe. Com muito muito muito esforço meu e da equipa de enfermagem lá lhe conseguiam abrir a boquinha de passarinho e po-la na mama. Dez segundos e duas sugadelas depois, rejeitava de novo. Vinha nova enfermeira...mais uma espremedela, aperta daqui, aperta dali, tenta esta posição, tenta aquela. Tempo interminável depois e a Francisca acabava a beber suplemento. E passado duas horas, tudo se repetia. Com o colostro a coisa ainda foi indo, não muito bem, com a Mamã já com os mamilos em ferida total, mas com a esperança que a próxima mamada corresse melhor que a anterior. 
Sexta feira tivemos alta de manhã e viemos para casa. E o pesadelo começou...  
Tive uma subida de leite apelidada pela médica das urgências e pela minha Mãe como fora do normal... Comprei uma bomba para extrair o leite. A Francisca continuou a rejeitar a mama... Tentamos de tudo para que ela pegasse... Até aerom nos mamilos de silicone...até na mama...Todas as posições... Toda a estimulação possível... Mas a natureza decidiu que eu iria produzir muito leite. E a minha bebé não o queria tirar da maminha. Tirava imenso leite de cada peito, tanto que já congelávamos. Logo após retirar o leite, o peito empedrava de novo... Massagem, pachos de água quente, nova espremedela da minha Mãe...Berros de dor, lágrimas a cair pela cara abaixo... Passado uma hora, voltávamos ao mesmo porque o peito empedrava de tal maneira que a bomba já não conseguia extrair o leite. Nem vou referir o estado dos mamilos, porque era mau demais...
A certa altura as mamas começaram como que a arder por dentro. Quentes... Eram como facas a cortarem por dentro seguidas de mil alfinetes a arder... E o ritual acima descrito continuava. A Francisca estava a ser cuidada pelo Papá porque eu já não conseguia. chorava e e tremia de dor...  
Até Domingo de madrugada cerrei os dentes e aguentei. Tinha de melhorar, não podia não melhorar. Achava que já tinha batido no mais baixo e depois seria sempre a subir...  Mas não melhorou, só piorou... 
A partir daqui não me lembro muito bem do que aconteceu... Honestamente, não quero lembrar-me, porque se a minha mente decidiu bloquear isso será por algum motivo... Sei que acabei nas urgências desmaiada de dores, com febre e suores gelados mas não faço ideia de como lá cheguei. Lembro-me de ter 3 enfermeiras e uma médica à minha volta. De me picarem na mão e no rabiosque. De me despirem. De ver gelo... De ouvir "Vamos enfaixar este peito, já". E "mastite"... 
Aconselharam-me a secar o leite. Deram-me a medicação necessária e disseram para reflectir e decidir o que fosse melhor para mim e para a minha filha. Deram-me todo o aconselhamento possível e imaginário... Nessa noite, sedaram-me também para conseguir descansar.  
Domingo chorei muito muito muito...não sabia o que fazer... Chorei de dores, de desespero, de inquietação. Pensei que iria melhorar depois da medicação dada no hospital... Nada, zero, à tarde voltamos ao mesmo ritual. E não podia dar leite à Princesa porque estava medicada... Chorei muito muito muito... E decidi, em conjunto com o meu Marido, secar o leite. Porque a amamentação é o ideal para o bebé...quando tal é possível. Não o foi no meu caso... E porque à minha volta todos imploravam para acabar com o meu sofrimento de uma vez por todas... Porque nunca me tinham visto sofrer assim... nem cólicas renais, nem cirurgias... Nunca senti tanta dor na minha vida toda. NUNCA! E pela minha Texuguinha sou capaz de aguentar tudo, mas não quando implica por em risco a minha saúde e bem estar a todos os níveis, porque depois, quem irá ser a Mamã que ela precisa? 
Ainda não consigo que me toquem no peito, assusto-me ao ver pessoas a aproximarem-se de mim, ponho as mãos à frente a proteger o peito numa espécie de reflexo instintivo... Ainda não consigo encostar o meu pedacinho de céu junto a mim e isso deixa-me profundamente triste...   
Dei de mamar 5 dias à minha filha. Não foi como eu queria...mas ela tem de comer. E eu tenho de ser capaz de cuidar dela e para isso tenho de ficar bem a todos os níveis. Ela adora o biberão e a Nestlé, come que é uma maravilha. Dorme tranquila... 
Tive o apoio de toda a minha família. Tive o apoio incondicional do meu Marido, sem ele teria enlouquecido de dor. E sem a minha Mãe por perto não teria conseguido aguentar também... 
Sei que poderei ser julgada e apelidada de má Mãe por algumas pessoas. Volto a dizer que não amamento a Francisca não porque não queira mas porque não posso (atenção, eu acho que amamentar é uma decisão de cada Mulher e ninguém tem nada a ver com isso. A decisão é, em última instância, da Mulher e deve ser respeitada). 
Tentamos de tudo... Até o meu corpo e mente não aguentarem mais e o corpo reagir ficando doente. Mas quem quiser atirar pedras, força! Estou de cabeça erguida e não serei menos Mãe para a minha Filha, Nunca serei menos Mãe por não amamentar. A Francisca está alimentada e feliz. Dorme serena e tranquila. 
Se choro? Sim, muito, todos os dias... Mas vai tudo melhorar. Tem de melhorar.  Porque eu não tenho o direito de privar a minha Filha do sorriso e da alegria da Mãe. Nem de privar o meu Marido da Mulher com quem casou.  
Nem sempre os planos são possíveis de concretizar. E a nossa capacidade de nos adaptarmos é essencial para avançar em frente... E espero que este post e esta lavagem da alma me ajude a isso... 
Food first, then morals... 


6 comentários:

Filipa Lourenço disse...

Oh Princesa! Que coragem a tua....
Tou aqui com o coração apertado com o que li!
Deixo só aqui este comentário na esperança que te ajude, acalme...qualquer coisinha boa :)

Por partes, 1º, queria muito já vos ido visitar, mas prefiro ver-vos qdo tiverem a vidinha mais organizada, que isto agora, mt gente atrapalha :p

2º, duvido que alguém com juízo te vá julgar por Má Mãe, primeiro pk kem julga é Deus, e além disso, já dizia a minha avó..."quem dá tudo o que tem a mais não é obrigado!" (para manter a coisa simples:p )
Tens que pensar que para dares felicidade à tua filha, tb precisas de cuidar de ti e estares bem, é um ciclo e não podes descurar a tua parte nesta equação :)
Portanto, não fiques triste pf, és muito mãe pelo sacrifício (pk é de mãe mesmo), e não és menos mãe pelo que tentas-te e não conseguis-te.

Um bjinho enorme! Espero que fiques bem, pela tua família! :D

Sónia disse...

Mamã da Francisca, acompanho o teu blog à relativamente pouco tempo, eu própria estou grávida neste momento e quero apenas agradecer-te pela sinceridade e coragem com que falaste da questão da amamentação. Compreendo que seja muito dificil não dar de mamar à tua bebé, mas fizeste tudo o que podias, não tens que te culpar! Importante é a tua menina estar bem e ter a mãe pronta para cuidar dela. Por isso, é tentar esquecer, não és melhor nem pior mãe por causa disso, simplesmente aconteceu...coragem, tens o amor da tua vida contigo, nada mais interessa :) Beijo grande!

guilherme alexandre disse...

Tudo o que escreveste apenas como que roça o que se passou realmente. Nunca dos quase 11 anos que nos conhecemos te vi assim. Eu nem quero começar a imaginar a dor que sentiste, pois para te ser sincero, eu acho que não tinha aguentado tanto. A cada lágrima que te escorria, a cada suspiro de ansiedade minutos antes de sequer começares a tentar, o meu coração fechava-se como se de uma ervilha se tratasse..

NO ENTANTO, e esta é que é a parte importante a reter, ACABOU! Superaste, és uma lutadora e prometo que nunca mais ninguém te aperta as mamas, excepto eu ( :D )! :P
É importante libertares isso e seguires com a tua vida meu amor. Foi a melhor decisão que podias ter tomado! Para ti, para a Francisca, para nós!
Estou e estarei para sempre contigo! Seremos sempre nós!

És uma mãe fabulosa! O amor que demonstras pela Francisca transborda calor!! E, da forma que estavas, parecia que nem a ti te conseguias aquecer..
Se alguém disser que és má mãe, terei muita pena dessa pessoa, pois serão as suas "Famous Last Words"
E sinceramente doce, vivemos no século XXI e valorizar esta questão é, na minha opinião uma parvoice de todo o tamanho..

Ser uma boa mãe é conhecer, compreender e amar os nossos filhos até à ultima instância.. não é pôr-lhes uma mama na boca.. Isso até os animais fazem..

Não escrevo mais porque temos de ir dar banhinho à nossa menina.. e ser felizes.. :D

Amo-te

Princesa disse...

Querida Sónia,

Para quando terás o teu bebé?
Obrigada pelo teu comentário :) Infelizmente, a amamentação é daqueles assuntos que quase parece tabu... às vezes corre bem, às vezes corre mal, como quase tudo na vida!
Desejo-te as maiores felicidades!

Mil beijinhos

Filipa,

Obrigada pelo teu comentário...têm sido uns dias um bocado estranhos mas isto não tarda está tudo nos eixos... não sou menina de me deixar ficar ;) Mal a coisa esteja encarreirada combina-se um lanchinho para fazer o debut da Princesa júnior ;)

Muitos beijinhos

raquel disse...

Que coragem, minha querida.
És uma Mãe fantástica, de certeza. Nunca duvides disso.
Beijinhos enormes, em vocês*

Velud'arte disse...

Estou emocionada. Muito emocionada mesmo!
A minha bebé tem hoje 21 dias...
O início das mamadas não foi lindo, a subida do leite chegou com muitas lágrimas de desespero, sentimento de impotência... tive tanto medo de não estar à altura das necessidades da minha filhota...
Mas felizmente arrebitei graças à ajuda da bebé, do marido e da minha enfermeira querida... e agora de negativo só resta o cansaço e algumas preocupaçõezitas com uma luxação na anca.

Foste uma guerreira... tenho a certeza que o pior já passou... esquece tudo e goza agora ao máximo a filha linda que tens!
Grande beijinho.