19 julho 2011

Da tribo dos meninos perdidos...

A tribo dos meninos perdidos vive há muitos, muitos, muitos anos em casa dos meus Pais. O membro mais recente é o meu Marido. E muito o aterroriza a ideia de que, mesmo sem se dar conta, é mais um elemento desta chamemos-lhe (des)organização. 
A tribo dos meninos perdidos contagia rapidamente aqueles que com ela entram em contacto. De momento não há tratamento possível para os efeitos que a convivência diária com esta tribo acarreta... Os principais sintomas de que se entrou em contacto com a tribo passam por: 
nunca chegar a tempo e horas onde quer que seja (nunca mesmo...a título de exemplo: a minha Mãe chegou 3, sim leram bem, 3 horas atrasada ao seu próprio casamento. A preocupação do meu Pai não era que a noiva tivesse fugido para Espanha ou para outro lado qualquer, mas sim o facto de a comida estar a ficar fria e já marchar qualquer coisinha) 
- não saber onde estão as chaves do carro. Depois de finalmente ultrapassado este problema segue-se o não saber do paradeiro das chaves de casa para poder abrir o portão e assim poder tirar o carro da garagem (tempo médio: 15 minutos em dias bons...dispenso dizer a média para os dias ditos normais).
- antes de uma viagem já programada (por programação refiro-me a saber que tal deslocação é inevitável no dia anterior. Se estavam a pensar em ver mapas, procurar coordenadas GPS ou escolher restaurantes para paragens para almoço previamente decididas...esqueçam!!! São conceitos que nunca passaram pela tribo) é essencial para pertencer à tribo que o carro não tenha gasolina e obrigue a uma paragem para abastecer (regra geral: são dias maravilhosos para o efeito o Dia de Todos os Santos, o 15 de Agosto, o 24 de Dezembro; local preferido: estações de serviço apinhadas. Acresce ainda que no caso de ser o meu Pai o condutor, a paragem envolve também uma aposta no EuroMilhões e Totoloto, porque se registar ali vai sair de certeza. Até hoje, nada..) Ultimamente a falta de gasolina e necessidade urgente de abastecer afecta também os minutos antecedentes a consultas pré-natais (acresce dizer que este foi o primeiro sintoma que detectei no meu Marido). 
- no pacote de sintomas incluem-se também as idas de última hora a um qualquer hipermercado (duração variável, entre 30 a 70 minutos) com direito a "vai-para-a-caixa-que-eu-já-vou-lá-ter"... Depois de todas as compras passadas, fica-se incontáveis minutos a olhar para a menina da caixa e para a fila de pessoas que (des)esperam pela sua vez...e a procurar um buraco no chão bem fundo para desaparecer... 
- outro sintoma clássico são as refeições fora de horas. E esta foi a derradeira prova de que o meu Marido se tornou membro activo da tribo dos meninos perdidos, quando decidiu ser ele a fazer um almoço de Domingo (odeeeeeeio os almoços familiares de Domingo, deprimem-me.  Mas a girl gotta do what a girl gotta do...) e nos presenteou com o seu manjar pelas 15 horas (em sua defesa, estava delicioso!!!).
Estes são alguns dos sintomas clássicos de que se esteve em contacto com a tribo (em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, não lhe adianta de nada consultar o farmacêutico. Trust me...been there, done that, got the t-shirt). Provavelmente outros existirão, mas necessito de mais tempo para aprofundar e reflectir sobre este fenómeno (importantíssimo, como quase tudo sobre o que disserto...) 
Acresce dizer que a tribo dos meninos perdidos alimenta-se de peças de vestuário que, misteriosamente, desaparecem (daí o nome desta tribo). Estas permanecem incógnitas por períodos variáveis de nunca menos que 15 dias até 8 meses. Milagrosamente, re-aparecem qual D. Sebastião no seu cavalo branco numa manhã de nevoeiro... (os regressados mais festejados costumam ser peças de roupa interior). 
O meu Marido foi a mais recente vítima desta tribo. Ao fim de 5 anos teve de admitir que a tribo se apoderou dele... E até hoje acho que não consegue perceber como tal aconteceu... (primeiro estranha-se, depois entranha-se...)

6 comentários:

guilherme alexandre disse...

Eu NUUUNCA irei pertencer à tribo!!!! Nuuuuunca!!!

Princesa disse...

Já foste ;) Agora a tribo também conta contigo para o caos total!

guilherme alexandre disse...

Uma pessoa pertence à tribo quando acha que os sintomas são normais.... Eu NÃO acho normal!!! lool

Princesa disse...

Mais umas semanas e nem dás conta...MWAHAHAHAH

Lu disse...

LOLOLOL Fantástico!!! :D

raquel disse...

:)