19 maio 2015

Serei órfã de infância.

Na inevitabildade das curvas da vida, deparo-me com o abismo das certezas. Inevitável. Tanto a morte como a vida. Hoje, não me apetece levantar os braços, por uma perna à frente da outra. Hoje , apetece-me voltar à posição fetal. Ouvir o ritmo lento da minha respiração. O cancro, o filho da puta do cancro, leva-me a família toda. E , sei agora, que o cabrão do cancro me levará também, um dia, a minha doce Avó, o único vestígio de que um dia também fui criança de Avós. Só não sei é quando. O filho da puta do cancro leva-me a família toda e será esse covarde o algoz que me deixará órfã de infância. Um dia, só não sei quando. 

5 comentários:

Modern Ana disse...

:(

S. disse...

Força. Um beijo

Ana disse...

É um peso enorme... Um beijinho.

Magui disse...

A minha avó tem há mais de 10 anos uma "massa não identificada que ela se recusou a tratar", aquilo tem crescido e evoluído mas ela já tem 92 e ainda cá está... Na idade das nossas avós estas doenças andam devagarinho, quase paradas! Um beijinho do tamanho do mundo e prepara-te para teres mais 10 ou 15 anos de infância!

raquel disse...

Um grande, enorme beijinho.
Que corra tudo pelo melhor.
<3