29 dezembro 2014

Dos dias.

Todos (quase, vá) têm grandes resoluções para o ano que vem: ser mais saudável, correr uma meia maratona, viajar, poupar mais, ser feliz e beber caipirinhas (ou gin, que está na moda) ao luar com uma fogueira na praia e mimimimi. À minha volta, parece que toda a gente está resolvida da vida, resolução para cima e para baixo. Ouvir mais que falar. Ouvir mais do que falar. Ouvir mais. Falar menos. Talvez seja a minha resolução de Ano Novo. Aprender a ouvir mais e a falar menos. Não que fale muito, não que não saiba ouvir. Mas este ano ensinou-me que, muitas vezes, melhor que falar é ouvir. Por razões muito diferentes mas tão transversais que vão desde o estar lá e ouvir é o melhor que se pode fazer até ao célebre ditado que versa que "pela boca morre o peixe". Falar menos e ouvir mais.
E, sobretudo, quero poder continuar a encher o pote das moedas para levar a Francisca à EuroDisney. O pote que comecei a encher quando deixei de fumar (vá, mais ou menos, ainda fumo um outro cigarro que isto aqui não se vendem milagres, sim?). 
Simples.

2 comentários:

Magda E. disse...

Olha, é uma resolução que eu deveria de adoptar também. Junto-me a ti, pode ser? E junta lá as moedinhas para a pequena que é uma grande causa!

M.P. disse...

:-) bom ano!!!