07 dezembro 2014

De Vilas Natais e doenças infantis.

Francisca não se interessou minimamente pelo Pai Natal. Gritou-lhe, de onde estava, que queria um Dra. Móvel. Disse um "Não" decidido quando o suposto Pai Natal lhe perguntou se queria sentar-se à sua beira e eu senti-me feliz. Por muitos motivos, fiquei feliz quando disse que não se queria sentar perto daquela personagem que não conhecia de lado nenhum. Senti orgulho na criança que a minha Filha é. Muito. Despachou uma "fada madrinha" que lhe apareceu pelo caminho, dizendo que "agora não posso, tenho de ir andar no carrossel com a Mánhe". E eu senti-me pequenina para tamanha declaração... Uma " Vila Natal" inteira e a única coisa que Francisca quis foi andar de carrossel comigo. Zero interesse por Pais Natais, árvores, bonecos de neve. Uma volta no carrossel foi o que pediu. "Mánhe, estamos no carrossel e o carrossel está a girar, a girar, a girar!" Horas depois, chegou em força a doença que a faz agora dormitar ao meu lado. Francisca agarrada à barriga, encolhida. As lágrimas. Doenças infantis, diz-se, fazem parte, mas não custam menos por isso. Francisca tem frio e eu aconchego-a com uma manta. Passo-lhe a mão no cabelo e ela adormece de novo. Dói-me a cabeça, parece que vai explodir. De tudo que tinha à sua disposição, uma ida à Vila Natal de propósito para ela , a única coisa que o meu passarinho quis foi andar no carrossel comigo. É tão fácil fazê-la feliz. Meu pequeno passarinho doente, de asa murcha a dormitar, shhhh... vamos ter sempre um carrossel para nós, a girar, a girar, a girar... agora fica boa. Depressa. 

4 comentários:

Magda E. disse...

as melhoras, depressa.

M.P. disse...

Como custa vê-los doentes... O meu passarinho não há maneira de melhorar...

raquel disse...

Riqueza de princesa!
Francisca é uma despachada doce, doce!
Gosto muito de vocês*

Magui disse...

As melhoras da Paquica e um beijinho enorme para ti!