23 outubro 2014

Das rotinas.

Quando Francisca me cabia no antebraço (e ainda sobrava espaço),na instituição "Eh pá, agora sou Mãe!" surgiram uma série de rotinas. Muitos dias tinha vontade de as atirar às urtigas e fazer o que me fosse mais fácil, mais simples, mais rápido. Tantos dias tive vontade de esquecer as rotinas estabelecidas, o banho, o biberão, arrota, muda fralda, dorme. À distância do tempo, acho que lhe fizeram e fazem bem. Por norma, dorme e deixa dormir, esse elefante cor de rosa que perguntam a todos os Pais: o "dorme bem?", ao que se costuma seguir o "e mama bem?", "alivia-se bem?(pondo as coisas em termos simples). Hoje em dia, pouco resta, se não mesmo nada, das rotinas desses dias. Há outras, diferentes, mas estabelecidas, semi-rigidas que dias não são dias. Rotinas simples, fáceis para um criança de 3 anos perceber (tirando o arrumar-os-brinquedos-quase-a-ferros) e que vão resultando (com a minha criancinha, claro). Também há birras, choros desconsolados do eu-tenho-a-pior-Mãe-do-mundo, amuanços, pés que batem no chão porque-a-minha-vida-é-uma-tristeza-e-eu-sou-a-rainha-do-drama. Sim, também há disso. Mas confesso que acho que o facto de as rotinas estarem tão entranhadas no seu dia-a-dia lhe roubam o tempo para as birras descomunais. Ou faz birra ou vê os "desanimados"... as duas coisas, não vai dar. Francisca chega da Escola, brinca, toma banho, vê dois episódios de Dra. Brinquedos (matem-me com o estetoscópio falante), janta e não há cá não quero sopa, que aqui há o quem manda sou eu, come e cala, sai da mesa (depois de pedir), brinca, lava os dentes e chichi cama. Nunca antes das 21h30, é certo, mas se assim não for, não lhe ponho quase a vista em cima. Se antes havia dias em que me apetecia dizer que o banho ficava para depois ou amanhã, hoje em dia apetecia-me que Francisca não ficasse um bróculo em frente à TV pelo tempo em que lhe é "aberto o sinal" do Disney Junior. Mas foi entrando na rotina, este seu momento de descompressão (life is soooo hard when you're 3!) e penso que mal não lhe fará. Faz parte da sua rotina, não é o dia inteiro. E a prova disso, são as nódoas negras que Francisca colecciona nas pernas. Pode parecer estranho, mas gosto que as tenha: é sinal que brinca, que corre, que cai e sobretudo que se levanta. E no fundo, o que eu quero, é que a rotina da Francisca seja a de ser feliz. Simples. 

3 comentários:

S. disse...

Adorei este post, que delícia! Beijinhos

Magui disse...

Gosto... Por cá é muito parecido! E sim mini Ce também "papa" kelly's do Oeste, Calimeros e Doutoras com vontadinha e até ver é um miúdo normal!

Magda E. disse...

Quando engravidei do S. custava-me mais fazer algumas coisas por estarmos as duas quase sempre sozinhas. Permiti mais tv do que devia, era mais fácil para mim, e agora viro-me do avesso porque ela não passa sem a mesma. o que me vale, é que muitas vezes é só mm pelo ruído e brinca em paralelo.