15 março 2014

Gritaria com afocinhanço se paga?

É gritaria de manhã. É gritaria à noite. São portas a bater a toda a hora. Móveis a arrastar. E marteladas. Já para não falar no colchão de molas estragado que se ouve em minha casa. Surgiu-me uma ideia. Sei a que horas saem. E a que horas entram. Da minha porta, vejo perfeitamente as escadas. Fio de pesca. Invisível. Atado de ponta a ponta no primeiro lanço de escadas. Puf. Caiu. Como diz a Francisca, "fêze pumba". E eu a rir-me como perdida de dentro de minha casa. Toma lá as portas a bater, agora afocinhas nas escadas. Seria épico. Mas isto são só devaneios de quem já está pelos cabelos com as criaturas. Mas seria épico. Creio que ia rebolar no chão a chorar a rir. Sim, sou uma pessoa terrível em agonia com os vizinhos de cima! 

5 comentários:

M.P. disse...

É desesperante. E se no início ainda lhes sorria e fazia conversa no elevador (cheguei até a ponderar oferecer uma prendinha quando o filho deles nasceu!!), agora nem os dentes me vêm.

Magda E. disse...

lol... eu fazia isso aos de baixo...

Magui disse...

Eu a ti fazia... Afinal eles não sabem quem foi :D! Se calhar depois ainda gritam mais, mas pelo menos ris-te :D!

raquel disse...

:) era de fazer!
mesmo.
ninguém merece!

Vidas da Nossa Vida disse...

Já somos duas!!! É a loucura. O arrastar dos móveis, então, é demais. Tive de desligar os inter comunicadores do meu filho mais novo porque eles accionavam-nos com o barulho que fazem!! E os gritos quando há futebol? Eu falei com eles pouco tempo depois de nos mudarmos (em Setembro) e pedi alguma atenção por causa dos meus filhos. Eles dizem que sim, com um ar muito convicto e educado, se não fosse vizinha deles até os acharia pessoas com ar normal e civilizado, mas depois é sempre a mesma coisa.