19 fevereiro 2014

Crescer.

Francisca: 
Crescer. Crescer é uma armadilha, Francisca. Desde que o Mundo conhece o som do teu choro (ou o de qualquer outra criança), que se (te) pede que cresça(s). Em altura ou em peso, nas curvas dos percentis, logo tudo tão tabelado, tão delimitado e limitador. Pede-se que sejam adquiridas capacidades, reconhecer a voz da Mãe, responder a estímulos, sentar, andar, saltar, correr. Pede-se (exige-se) que se adquira a capacidade de respeitar e de seguir ordens, seguir os padrões da sociedade, tão tabelados, tão delimitados e tão limitadores. Todos pequenos (grandes) burrinhos, com umas belas palas ou óculos de Penafiel. Porque se interiorizou tudo o que nos foi pedido, exigido, tudo quase como o peso e a altura seguem as curvas dos percentis. E tu dizes que sim, que já és uma Menina grande e dizes que a Francisca calça porque já é crescida, a Francisca despe porque já é grande, a Francisca faz, a Francisca consegue sozinha. O tempo irá ensinar-te que muito provavelmente, sim, conseguirás fazer quase tudo por ti mesma. Pelo menos, espero que essa capacidade te corra nas veias. Acho-a muito útil para a vida dos crescidos. Francisca, o que tu agora dizes querer ser, grande, com menos de 3 anos, o tempo irá de certeza ensinar-te aquilo que se te dissesse hoje, não conseguirias perceber: crescer é uma armadilha, Francisca. Que começa na e desde a primeira golfada de ar. 

2 comentários:

raquel disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Magui disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.