30 janeiro 2014

Eu sei que sim, mas eu tenho coração.

Hoje, fui às urgências com a Francisca. Apanhei um susto. Eu sei, eu sei, não é nada de catastrófico, mas dizerem-me que a miúda já não estava com a saturação de oxigénio como devia e que estava em esforço, fez o meu coração parar. Para logo a seguir, numa fracção de segundos, a adrenalina o voltar a obrigar a bater. Disse a mim própria para não ser mariquinhas. Para usar a cabeça e não o coração. Eu sei, eu sei, coisas de crianças. Um bocadinho de oxigénio para ajudar a respirar melhor (e para mim? respira, respira mariquinhas, mantém a calma, tu sabes que não é algo do outro mundo, respira, dá-lhe calma, dá-lhe conforto, aguenta-te que motherhood is not for sissies!). Medicação, resguardo, mimo, carinho, paciência. Eu sei, eu sei, não é nada de muito grave e há coisas muito piores. Limpa-se vómito e ranho, diz-se que já vai passar tudo com o "remédinho", aguenta-se as más noites de choro pela doença, limpam-se as lágrimas de desconforto, vela-se a respiração, medicação certinha e tudo vai passar. Eu sei, eu sei, eu sei que isto passa e não tarde está de novo aos pinotes e não foi nada com ela. Mas como dizia o meu querido Matt, quando a filha de um colega nosso foi submetida a uma pequena cirurgia, as pequenas cirurgias são as que são feitas nos outros, não em nós ou nos nossos. Agora, Francisca dorme, de respiração ofegante.  Deixou-se dormir no sofá, encolhida sobre ela mesma. Levei-a ao colo para a cama, a cabeça encostada no meu peito, tão pequena a minha Menina grande, tão minha, tão de mim. De cada vez que a Francisca fica doente e a vejo com aqueles olhos fundos, parte de mim também adoece. E eu sei que é a melhor parte de mim. 

6 comentários:

Anónimo disse...

As melhoras da Francisca. Coração de mãe sofre...

Bi disse...

É horrível!! Eu ouvi essas mesmas palavras, tinha a C. 4 meses!!! Ia caindo pro lado no hospital... acho que por instantes deixei de ouvir a enfermeira da triagem...

As melhoras da mini Princesa!!
Um beijinho*

Magui disse...

Fiquei com o coração apertado ao ler-te... Conheces bem a nossa história e sabes que já tivemos sustos vários... É bem verdade que à distância tudo é SÓ "uma pequena cirurgia" e SÓ "um bocadinho de oxigénio", mas isso é depois, não é o durante, não é quando estamos lá a vê-los mal e a tentar acalmá-los com a calma que não sentimos... Porque durante dói muito, durante dói neles e em nós e durante não há pequenas cirurgias, nem bocadinhos de oxigénio...
Um beijinho muito muito grande com o maior dos carinhos. Gosto muito de vocês e fico aflita com ela como se fosse com o F.

M.P. disse...

És uma mãezaça!! As melhoras da Francisquinha... Um beijinho grande nosso

Magda E. disse...

As melhoras... não és mariquinhas, és mãe e não há nada q mais nos custe que os nossos filhos doentes.

raquel disse...

Minha querida,
Um beijinho cheio de força!
As melhoras rápidas da Francisca...
Isto é tudo muito simples e "pouco dramático" quando não toca aos nossos.
Também andamos aqui em bolandas e prestes a abalar para as urgências.
Um beijinho cheio de carinho*