12 junho 2013

Coisas que me fazem profunda confusão...

So, here's the thing: eu viajo muito com a minha Filha sozinha. Ando muitas vezes com ela para a frente e para trás em Mommy&Me. Há coisas que fazer com ela são mais trabalhosas, como meter gasolina, porque implica ter de meter gota ( enquanto me sinto a ser roubada alarvemente), tirá-la da cadeirinha, pegar nela, pagar, voltar, põe na cadeirinha de novo. Já por aqui contei que ir à casinha em viagem dá origem a episódios rocambolescos. É uma canseira mas é assim, não consigo pensar em que são "só" 2 minutos e deixá-la fechada sozinha num carro. Em 2 minutos, uma vida muda. Para sempre. Hoje de manhã, parei o carro com os 4 piscas para deixar a minha cria. Atrás parou outro carro. Ligou os 4 piscas. Tirou uma criança com idade perto da minha do banco de trás. No banco da frente, no lugar do passageiro, estava uma coque. Com uma criança. O Pai desceu a rua atrás de mim, dizendo ao filho que carregava que o Mano esperava no carro. Gelei. Não disse nada. Não me diz respeito. Mas discordo. Em 2 minutos muita coisa pode acontecer. Em menos até. Paranóica? Talvez. Mas antes carregar a minha Filha para trás e para a frente, mesmo que sejam dois minutos, que carregar shoulda woulda coulda a vida toda. Não se deixa uma criança sozinha num carro. Na coque, na cadeirinha, no que quiserem. Não se deixa. Comigo, é assim. 

7 comentários:

Magui disse...

Eu também sou incapaz... Deixei-o uma vez enquanto entrei na farmácia porque ele estava a dormir e eu estava a vê-lo (pensava eu)! Quando voltei, passados os 2 micro minutos, ele não estava nada a dormir, estava a chorar e eu fiquei para morrer! É que eu via-o, mas pelos vistos muito mal! Serviu-me de emenda...
Agora e o andar ao colo e à frente? No infantário do F ele é quase o unico que vem embora na cadeirinha, todos os outros vão aos colos, às vezes de irmãos com 6/7 anos! Fico doente!

Magda E. disse...

Concordo ctg. mas por exemplo nas bombas qd vou abastecer e estou sozinha com ela, deixo-a no carro mas tranco as portas. e não lhe tiro os olhos de cima.

Rita disse...

Comigo, IGUAL! E faz-me tanta confusão...há tempos na escolinha da minha filha uma auxiliar veio chamar a atenção que havia um bebe a chorar dentro de um carro. Era o filho de uma mãe que trocava galhardetes animadamente com outra! SURREAL!!!

raquel disse...

Comigo é tal e qual! Não consigo, mesmo, fazer de outra forma.
Já o sr. meu marido é capaz de facilitar! "UI, são 2 minutos!"
Eu não posso saber, fico doente! Mesmo doente.
Vou-lhe mandar este texto!
Um beijo*

Sentido Sulriso disse...

E se me permito, repito: Não se deixa um filho no carro! Nunca!

M.P. disse...

Uma coisa é ser-se descontraído, outra coisa é ser-se irresponsável. E há muita gente a confundir as duas coisas. Não sei como há gente a facilitar a esse ponto.

Ana disse...

Nunca facilitei porque basta uma vez para as coisas correrem mal. Também eu já tive que me dar ao trabalho do tira e põe da cadeirinha na bomba de gasolina, mas não se pode mesmo facilitar. Quando me lembro ponho gasolina no dia anterior à noite para o evitar.
Nunca se deixa um filho sozinho no carro nem em lado nenhum. Mais vale o trabalho do que o peso na consciência.