16 maio 2013

Aguentar à bronca...

Quando era pequena, lembro-me muito, muito, muito bem da vez em que levei a minha avante e correu muito, muito, muito  mal. Devia ter uns 5 anos. Os meus Pais tinham-me levado a jantar fora. No final, o meu Pai pediu um café e juntamente veio uma aguardente velha. Lembro-me da cena que fiz porque queria porque queria provar aquela coisa transparente. Pintei a manta. Queria porque queria provar aquela coisa. O meu Pai disse-me não, não, não. Esperei até o apanhar distraído e virei o copo goela abaixo, anos mais tarde aprendi que é beber de shot. Lembro-me muito bem do que se seguiu a sentir o esófago queimar. A cara do meu Pai em pânico por ver a cena absolutamente nojenta que fiz num restaurante xpto, chiquitérrimo, fancy até ao último guardanapo bordado. E eu, a labrega, a pintar a toalha de linho. A cara da minha Mãe, escandalizada. Porque eu queria porque queria provar aquele líquido estranho que estava num copo giro. Lembro-me de chorar como uma desalmada e ouvir um "eu bem te avisei minha Menina. Agora, não chora mais, aguenta. Não berra, não chora e não há colo para o carro. Aguenta porque desobecedeu ao Pai!"Saí pelo meu pé, de olhos inchados do restaurante pónei para onde me tinham levado. Deve ter sido a primeira vez que aprendi o que é aguentar-me à bronca. Serviu-me de lição. Eu e aguardente velha não dá. E aprendi desde nova a aguentar-me à bronca. Seja ela qual for. 

4 comentários:

Miú Segunda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Sónia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
M.P. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Pitú disse...