23 janeiro 2013

Bom dia, bom dia!!!

Sempre fui moça de ciências. Desde cedo que os Professores que me encontravam achavam que eu era muito boa rapariguinha e meiguinha e tal mas devia era dedicar-me às ciências exactas e menos a coisas de emoção. Não sei porquê nem porque não, mas o vaticínio era unânime em relação às minhas (in)aptidões. Em boa verdade, eu também gostava era mesmo dessas coisas, simples, sem nada que (eu) não pudesse controlar. Fui muito feliz, não fosse um piqueno pormenor: eu odeio Física. Para mim, saber se a maçã caiu, se o homem teve um peripaque porque a maçã lhe caiu, se o cavalo pára e o cavaleiro se esmurra todo no chão, se Eureka só é fixe se se gritar nú pela rua, dava-me bastante sono. Isso e os vectores de força. Era coisa de me deixar em estado catatónico durante todo o tempo que a aula durasse. É que o que eu gosto mesmo, mesmo, mesmo é de Química(s). Soa-me a magia a coisa, mesmo tendo plena noção do que acontece para ali é tudo menos Harry Potes no caldeirão. E depois, um dia cresci e apercebi-me de que o que eu gosto mesmo, mesmo, mesmo é de químicas, especialmente as inexplicáveis  da Vida.  Bom dia! 

4 comentários:

Magui disse...

Olha sou igual... Quando cheguei à universidade e percebi que a minha engenharia tinha umas 10 físicas de todos os tipos e feitios ia-me dando uma síncope... Curiosamente demorei 4 anos a fazer química orgânica que eu até gostava, vá se lá perceber isto :D!

Ana Maldivas disse...

Ui meeedooooo. Perguntava-me, companheira de doutoramento em curso (o teu já entregue, o meu com prazos auto-impostos e irreais para este ano), o que doutoravas tu. Afinal és das químicas, mulher. Daí os labs internacionais. Estou familiarizada, que a minha irmã doutorou Bioquímica num lab na Suécia, e hoje vive no Canadá, porque labs em Portugal assim democratizados é mentira. Já eu, olha, nem vale a pena. Doutoramento em Direito. Se era para doutorar mais valia ter escolhido uma área gira como as vossas... Mas a gente vai para Direito a achar que é o CSI e depois acabamos à frente a um coputador a ler e escrever divergências doutrinais que não interessam a ninguém. E a nossa research não é em labs, mas em bibliotecas bafientas. E com gente bafienta como colegas... Bjooo

raquel disse...

Tal e qual por aqui!
E tive tanta, mas tanta física no meu curso!
CREDO!

4D disse...

pois eu sou definitivamente de outro departamento. mas de químicas e alquimias e laços entre as pessoas percebo eu:)