26 janeiro 2012

Amanheceu cinzento...

Amanheceu cinzento o dia... Lá fora e em mim... 
Queria que houvesse um botão pause, um botão rewind, qualquer coisa... Qualquer coisa, por favor...Por favor... 
Quero ficar abraçada a ti, com a tua cabeça junto ao meu peito, skin on skin, horas sem fim... Perder-me no tempo contigo, nesses teus olhos tão doces, tão meigos. Não quero sair desta cama, deste quarto. Quero ficar aqui, contigo, num aconchego simples e doce. 
Queria que a vida fosse como eu sonhava que ela seria. Quero que a tua vida seja como tu a quiseres sonhar pequenina... 
Tenho medo, tanto, tanto, tanto medo. Medo que te esqueças de mim, que não saibas quem eu sou, meu Tesouro. Que passes a gostar mais dos Avós. Que prefiras o colo deles ao aconchego do meu peito cheio de amor por ti, pequenina Princesa, meu raio de Sol. 
Tenho receios Filha, muitos... Mais do que palavras possam expressar... 
Loucura, insanidade? Talvez...
Continua cinzento lá fora. Dentro de mim, escuro... 
Imagem retirada daqui 

2 comentários:

Duchess disse...

Isso nunca vai acontecer minha querida. Os meus adoram os avós. Estão sempre a querer ir para perto deles. Eu não sei se é por serem meus pais e não meus sogros, eu fico imensamente feliz por isso. Mas sei que mãe é mãe.
Tu tens que reagir. Eu que ando a trabalhar sobre a vinculação digo-te que precisas de não passar para elas os teus medos, para poderem ter uma vinculação segura e muito forte.

Sabes que podes falar comigo sempre que quiseres? se achas que eu digo as coisas acertadas para outros, também podem ser que as diga para ti.

Beijo enorme meu doce.

raquel disse...

Por aqui também tem estado muito cinzento.
E uma tristeza que insiste em pairar. Eu sei que é tonto, mas não consigo deixar de o sentir.
Entendo-te. minha querida.
É tonto e sei que não faz sentido, mas entendo-te.
Beijinho enorme com carinho*